20 jan 2014
janeiro 20, 2014

O Triunfo do Bem

11 Comentários

Como desejamos que o bem prevaleça! Como isso nos faz bem….

Conhecer a vida dos mitos na sua intimidade, sempre foi um desejo da sociedade comum. Como é a vida de um grande jogador de futebol fora do campo? Como é o dia a dia de um grande ator por trás das câmeras? Quem é o grande amor daquele cantor romântico que canta coisas maravilhosas sobre o amor?

É claro que existem tablóides que vivem da exploração da intimidade alheia, e ainda os “paparazzi” que perseguem celebridades esperando clickar um deslize, é pra mim notório que a curiosidade e a fofoca vivem lado a lado na vida de quem não valoriza a vida, mas o foco da minha observação é o sonho do sucesso alheio, a satisfação pela pureza alheia.

Ficamos felizes quando vemos a história de um jogador de futebol que saiu das camadas mais baixas da sociedade, negou a criminalidade, venceu com disciplina e determinação e, agora rico, lembrou-se da família pobre e investe dinheiro em uma entidade social qualquer. Somos tomados por uma satisfação e um alívio maravilhoso por constatar que ainda vale à pena ter um bom caráter.

Filmes que retratam o triunfo de quem busca o bem nos atraí mais do que filmes realistas. A realidade da violência e da vantagem da desonestidade sobre a honestidade nos choca. Há quem diga que filme com final feliz é coisa de gente fraca, é água com açúcar, o bom mesmo é a realidade, que pena…

Quando foi foi que o mal se tornou mais real do que o bem?

Ficamos tristes quando descobrimos que o atleta que levou a medalha de ouro trapaceou em sua prova, ingerindo substâncias proibidas. Nos desapontamos quando vemos que o ator que admiramos é na vida real violento e desequilibrado. Nos decepcionamos quando pedimos um autógrafo àquele grande jogador que saiu da pobreza para a fama, e somos tratados com desprezo e encontramos um rapaz orgulhoso que pensa que o dinheiro o torna melhor do que os outros.

Gira o mundo, nasce o sol e põe-se o sol, entra ano e sai ano, e no fundo no fundo, o que o homem sempre desejou e ainda deseja, é viver o bem, é ser feliz e satisfeito fazendo e vivendo o bem.

Que tipo de mensagem temos vivido?

Às vezes assisto alguns “testemunhos” em programas evangélicos de TV e me decepciono com o discurso da pessoa que alcançou tal vitória. Ao invés de glorificar a Deus pela graça concedida, passo o tempo desapontado e me perguntando que tipo de evangelho criou aquele ser arrogante que agora testemunha na TV. Ao invés de me converter ao Deus que realizou o milagre, tenho vontade de me afastar dele por ter ele criado alguém como aquela figura que assisto, e por ter contemplado em seu milagre alguém tão pedante e insensível. Na verdade acredito que tal feito não pode ser creditado a Deus.

Ao invés de ser convencido pelo discurso inflamado do pastor que prega milagres pelo rádio, e me entregar a Cristo, quero correr e fugir de tal igreja pelo tipo de abordagem mesquinha, pela venda de indulgência, pelo comércio do sagrado e pelo discurso orgulhoso do dito pregador.

Tais fatos e relatos em pregações me fazem acreditar que o bem perdeu. Quando checo o tipo de pessoa que apresenta os louros da conquista me desaponto com o que vejo. A mim me parece que o mal triunfou, o pior, me vejo lutando contra uma realidade que não pode ser escondida.

Se você deseja o bem que o mundo deseja, talvez não seja aconselhável a sua visita a feiras evangélicas ou eventos públicos onde a chance de encontrar aquele grande cantor ou aquele pregador ungido seja grande. Seu desapontamento pode ser inevitável…

Acho que é por isso que devemos olhar para o autor e consumador da nossa fé. Sua conquista na cruz e seus feitos e milagres gerados em amor e regados em misericórdia demonstram a compatibilidade que o coração do homem admira e deseja.

Somos portadores de boas novas, carregamos a vida de Deus dentro de nós e temos em nós o seu Espírito, quiçá, tendo muito ou pouco, famosos ou anônimos, sejamos gente do bem, gente que leva ao mundo a imagem de Cristo, que o mundo quer ver, mesmo que o mundo ainda não saiba que o bem que quer ver, é o bem que Cristo tem. Depois a gente faz a tradução…

“Servi uns aos outros , cada um conforme o dom que recebeu , como bons despenseiros da multiforme graça de Deus . Se alguém fala , fale de acordo com os oráculos de Deus ; se alguém serve , faça-o na força que Deus supre , para que , em todas as coisas , seja Deus glorificado , por meio de Jesus Cristo , a quem pertence a glória e o domínio pelos séculos dos séculos . Amém !” (1Pe 4.10-11)

11 Respostas para O Triunfo do Bem
  1. Quero que minha vida transmita este bem! Amém! 🙂


[topo]

Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *